Chão Mineiro: um novo estilo de vida merece inovação.

Uso de mármore em pavimentação de condomínio inspira requinte e aconchego em novo residencial em Barbacena.


Com o aumento do home office ocasionado pela pandemia de covid-19, as famílias estão à procura de casas em condomínios afastados da agitação dos centros das cidades e com mais espaço. Antenada nas tendências do mercado, a Souza Cristo engenharia oferece uma opção com cenário ideal para convivência familiar e trabalho ao aliar num só projeto arte e requinte.


Foto: Felipe Borges


A fórmula está na escolha do endereço do novo empreendimento, no caso, o residencial Chão Mineiro, que fica na MG 338, rodovia que liga Barbacena a Ibertioga. E a elegância vem da aposta no uso do mármore na pavimentação do condomínio. O material escolhido tem o objetivo de enriquecer o ambiente e valorizar as construções ali levantadas com ruas de mármore.


Além disso, o condomínio é arquitetado para transmitir a cultura mineira. Todas as ruas terão nomes de poetas do estado de Minas Gerais e cada uma terá um totem com um poema. Além de pomar, onde os moradores poderão colher frutos do pé e se inspirar.



Inovação na hora de morar.


O empreendimento é inovador e é revelado pelo engenheiro responsável pelo projeto, Giovani Anderson de Souza Cristo. “O mármore descoberto aqui na região tem uma qualidade melhor que o de carrara. Na região, talvez no Brasil, seremos o primeiro condomínio com as ruas todas em mármore. São mais de 20 mil metros de calçamento de mármore”, explica.



Foto: Divulgação Souza Cristo Engenharia


Este tipo de rua só existe na Turquia e na Grécia, segundo o engenheiro. Além disso Souza Cristo diz que esse diferencial valoriza o investimento porque o mármore é sinônimo de beleza, qualidade e durabilidade. “O mármore por si só agrega valor. E estamos falando de um tipo diferente. Ele é mais bonito e é muito melhor que o asfalto comum”, revela ao explicar que o processo de manutenção sai mais barato e rápido. “Tem toda uma base para suportar o piso e ficar bem colocado”, detalha.



A busca do lugar perfeito para a família


A artista plástica Zélia Mendonça já garantiu seu terreno no Chão Mineiro. Ela acredita que o imóvel no novo endereço permitirá um estilo de vida em equilíbrio com o ritmo da família. “A gente tem ficado muito em casa e convivido muito. Precisamos de espaço amplo para criarmos tanto ambiente de trabalho como de diversão em família”, justifica.


A compradora, que também coleciona arte, fala ainda sobre sua motivação. O apuro no uso do mármore foi o que mais me chamou atenção na hora da compra. Detalhes, para ela, valorizam uma residência. “Quando a gente vai na casa das pessoas, às vezes a gente não percebe, mas o que passa o sentimento mesmo são as pequenas coisas, a forma como tudo é disposto... É o que dá estilo e faz bem pra gente”, ressalta.



Mármore é requinte.


O primor despertado pelo mármore não vem de hoje. A história não é precisa, mas o uso desta rocha data quase 5 mil anos, sendo ostentado em templos e salões nobres desde épocas remotas. Acredita-se que seu uso tenha começado no antigo Egito. Mas foi na Grécia antiga e Roma que ele se tornou mais evidente no mundo ocidental.



Foto: Divulgação Souza Cristo Engenharia


Por isso, o mármore é um dos materiais mais nobres usados pelo ser humano e está presente em construções exuberantes mundo afora. Seu uso remete a um passado histórico e geológico rico, que alia beleza e durabilidade. Por isso, desperta tantos sentimentos e agrega valor aos mais variados projetos.



Foto: Divulgação Souza Cristo Engenharia






4 visualizações